• 43.JPG
  • DSC04227.JPG
  • 72.jpg
  • DSC04237.JPG
  • 1450889_10200687786991132_124161830_n.jpg
  • DSC04236.JPG
  • 5.jpg
  • 3.jpg
  • DSC04229.JPG
  • 27.jpg
  • 1450196_10200682015126839_1208451305_n.jpg
  • 1457621_10200677742740032_825354074_n.jpg
  • Imagem 053.jpg
  • 893230_740823862602663_1543125701_o.jpg
  • DSC04248.JPG
  • 44.jpg
  • 1453279_10200675585486102_39922286_n.jpg
  • 1441518_10200687779430943_1546331559_n.jpg
  • 1466145_10200682010526724_1440094314_n.jpg
  • 17.jpg
  • DSC04243.JPG
  • 8.jpg
  • 65.jpg
  • 60.jpg
  • 1493590_614780938593165_2077702540_o.jpg
  • 1459767_10200682011926759_1986721273_n.jpg
  • 1.jpg
  • 9.jpg
  • 1474363_10200682003406546_1107088127_n.jpg
  • 64.jpg
  • DSC04256.JPG
  • 1477661_10200677733779808_269647279_n.jpg
  • 71.jpg
  • DSC04247.JPG
  • DSC_0385.JPG
  • 38.JPG
  • 31.JPG
  • 73.jpg
  • 67971_10200682018966935_1433686035_n.jpg
  • 40.JPG
  • 49.jpg
  • 1480685_10200687777710900_1414167125_n.jpg
  • 67.jpg
  • 51.jpg
  • 36.JPG
  • 47.jpg
  • 13.jpg
  • 12.jpg
  • 39.JPG
  • 42.JPG
  • 50.jpg
  • 68.jpg
  • 30.JPG
  • 1476517_10200677746780133_2023482401_n.jpg
  • DSC00729.JPG
  • 999801_10200687786791127_731308374_n.jpg
  • 66.jpg
  • 45.jpg
  • DSC04226.JPG
  • 46.jpg
  • DSC04241.JPG
  • 37.JPG
  • 1011668_10200687776590872_1608491813_n.jpg
  • 21.jpg
  • 15.jpg
  • 34.JPG
  • 62.jpg
  • 53.jpg
  • 7.jpg
  • 55.jpg
  • 1470058_10200677743780058_1088363199_n.jpg
  • 1455845_10200675590086217_1578562057_n.jpg
  • 29.JPG
  • 16.jpg
  • 70.jpg
  • 524734_10200675585926113_1659256512_n.jpg
  • 28.JPG
  • 1479081_10200675573525803_1497076412_n.jpg
  • 41.JPG
  • 58.jpg
  • 52.jpg
  • 33.JPG
  • 1477985_10200682015766855_1570540052_n.jpg
  • 59.jpg
  • 10.jpg
  • 1456570_10200677746620129_695607638_n.jpg
  • 19.jpg
  • 57.jpg
  • 35.JPG
  • 1453457_10200675589886212_614881025_n.jpg
  • 540362_10200675577925913_1954543235_n.jpg
  • 1468811_10200682014006811_991752521_n.jpg
  • 56.jpg
  • 54.jpg
  • 61.jpg
  • 1465248_10200675591406250_1779427582_n.jpg
  • DSC00710.JPG
  • 48.jpg
  • 32.JPG
  • 1473063_10200675575245846_70038750_n.jpg

O Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação convida a todos para as defesas de mestrado e doutorado conforme dados abaixo:

Qualificação de Doutorado

Aluno(a) Tiago Emmanuel Nunes Braga


Título: Proposta de modelo para gestão da informação tecnológica no Programa Brasileiro de Avaliação
do Ciclo de Vida
Data: 28/09/2017
Horário: 14h
Local: sala de reuniões PPGCINF

Composição da Banca:
 Presidente: Elmira Simeão;
 Membro Titular Interno ao PPGCINF: Antônio Miranda;
 Membro Titular Externo ao PPGCINF e à Faculdade de Ciência da Informação: Marília Folegatti;
 Membro Suplente: Cecília Leite. 

 

Resumo: O estudo tem objetivo propor um modelo de gestão da informação tecnológica para o
Programa Brasileiro de Avaliação do Ciclo de Vida. A discussão será fundamentada no método
qualitativo a partir da concepção construtivista. Para isso utilizará a teoria fundamentada e fará uso de
procedimentos como pesquisa documental e entrevista a fim de atingir o objetivo proposto.
Palavras-chave: informação tecnológica, avaliação do ciclo de vida, gestão da informação.

Defesa de Mestrado

 

Autor (a): Rafaela Gomes Gueiros Rodrigues de Lima

Título: “Curadoria e Educação – a Ciência da Informação como abordagem de uma prática dialógica

Data: 28/09/2017

Horário: 15h

Local: Sala de reuniões PGCINF

Composição de Banca:

Presidente: Profª Drª Luciana Sepulveda Koptcke

Membro Titular: Profº Drº Cayo Vinícius Honorato da Silva

Membro Titular: Profª Drª Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares

Membro Suplente: Profª Drª Georgete Medleg Rodrigues

 

 

Resumo:

 

A Ciência da Informação, como campo do conhecimento e das práticas que lidam com a Organização e Recuperação da Informação, é o contexto conceitual para embasamento da presente pesquisa que visou compreender os processos que levam à associação entre Curadoria e Educação em museus para realização/execução de projetos expositivos. A partir da identificação e descrição de ações que integram Curadoria e Educação em dois diferentes museus – projetos de exposições / exposições (estudos de caso) –, buscou-se entender como os atores internos e externos às instituições se envolveram, bem como quais os seus papéis e práticas profissionais neste contexto. Foi usado o método de casos múltiplos para que, por meio da comparação entre eles, se conhecesse de maneira mais aprofundada ‘se’ e ‘como’ a associação entre Curadoria e Educação caracteriza as práticas expositivas nos casos estudados. Por meio da identificação e descrição dos processos de idealização, construção e execução dos projetos expositivos escolhidos, a pesquisa reflete sobre a relação entre as áreas e os profissionais; sobre os arranjos de poder e legitimidade na organização interna das instituições; e sobre a prática expositiva como agenciadora da participação do público na construção de discursos. Assim, encontrou-se que o objetivo da associação era realmente construir a narrativa institucional a partir do compartilhamento da responsabilidade sobre ela com outros atores atuantes nas exposições, especialmente com os setores educativos. São diversos os motivos dessa associação, mas ficou patente que ela acontece e que a promoção da participação é um deles, ainda que haja indicação de que ela não tenha primazia entre as motivações.

Palavras-chave: Curadoria; Educação; Informação; Relevância; Participação.

 

Relatório Intermediário de Mestrado

 

Título: Memória institucional em bibliotecas universitárias

Aluna: Maria do Socorro Neri de Sousa

Data: 20/10/2017

Horário: 14h30

Local: Auditório

 

Banca

Presidente: Profa. Dra. Miriam Paula Manini, FCI/UnB

Membro Titular Interno ao PPGCInf: Profa. Dra. Dulce Maria Baptista, FCI/UnB

Membro Titular: Prof. Dr. Rodrigo Rabello da Silva, FCI/UnB

Membro Suplente: Profa. Dra. Ana Lúcia de Abreu Gomes, FCI/UnB

 

 

 

Resumo:

Resumo: O estudo sobre bibliotecas perpassa por muitos enfoques e um deles pode ser a memória das bibliotecas universitárias. Muito pode ser dito sobre a história e a memória das universidades, mas também sobre a memória das suas bibliotecas, enquanto instituições guardiãs do conhecimento circundante e produzido na universidade. O estudo aqui apresentado diz respeito à memória institucional das bibliotecas públicas universitárias brasileiras criadas até a reforma universitária de 1968, marco importante para tais instituições de ensino superior e que influenciaram também suas bibliotecas. O estudo busca identificar projetos e propostas aplicados pelas bibliotecas universitárias para a preservação de sua memória institucional.

Palavras-chave: Biblioteca. Biblioteca universitária. Memória. Memória institucional. Universidade.

Qualificação de Doutorado

 

Título: A mulher nos arquivos do Estado brasileiro:  uma análise da representação dos acervos arquivísticos

Aluna: Maria Ivonete Gomes do Nascimento

Data: 10/10/2017

Horário: 9h

Local: Sala de reuniões do PPGCINF

 

Banca

 

Presidente: Eliane Braga de Oliveira

Membro Titular Interno ao PPGCINF: Georgete Medleg Rodrigues

Membro Titular: Beatriz Kushnir

Membro Suplente: Miriam Manini

 

 

 

Resumo:

Resumo: As mulheres estiveram circunscritas ao espaço privado por vários séculos. A partir da segunda metade do século XIX passaram a assumir posições em espaços públicos, antes não admitidos pela sociedade. Este estudo busca responder as questões: a mulher está representada nos arquivos públicos brasileiros? Como ela é representada nos documentos preservados como de valor histórico nesses arquivos? O objetivo geral é compreender a representação das mulheres nos acervos arquivísticos. Como objetivos específicos, pretende analisar os acervos arquivísticos que registraram a participação das mulheres nos acontecimentos relevantes para a sociedade brasileira, bem como analisar os instrumentos de pesquisa dos acervos sobre mulheres nos arquivos. A pesquisa caracteriza-se como exploratória e explicativa, com aspectos quantitativos e qualitativos. O plano amostral do universo da pesquisa consiste das instituições:  Arquivo Público do Estado da Bahia; Arquivo Nacional; Arquivo Público do Estado de São Paulo; Arquivo Público do Distrito Federal, Arquivo da Câmara dos Deputados, Arquivo do Senado Federal. Em relação ao tratamento dos dados, as fontes documentais serão analisadas com base na análise de conteúdo proposta por Lawrence Bardin (2011), com a técnica de inferência. As etapas do trabalho são: levantamento de bibliografia sobre o tema; levantamento dos fundos arquivísticos com recorte temporal de 1888 a 1988; mapeamento e análise dos instrumentos de pesquisa dos arquivos. O levantamento dos acervos será realizado a partir de um quadro temático relativo a acontecimentos que registraram a presença sobre mulheres. São eles: a abolição do trabalho escravo no Brasil; a Proclamação da República; a Revolução de 1930; a Campanha pelo direito ao voto da mulher; a Constituição de 1946; a Construção de Brasília; o Regime Militar e a Constituição Federal de 1988. Considera-se que tal estudo se justifica em razão da relevância dos arquivos públicos para a construção e preservação da memória social.

 

Palavras-chave: Mulher.  Arquivos. Arquivos públicosRepresentação das mulheres nos arquivos.

Qualificação de Doutorado

 

Título: OS OBSTÁCULOS AO ACESSO AOS ARQUIVOS COMO FATOR LIMITANTE DOS RESULTADOS FINAIS DAS COMISSÕES DA VERDADE NO BRASIL

Aluna: Mônica Tenaglia

Data: 22/09/2017

Horário: 15h

Local: Auditório

 

Banca

 

Presidente: Profa. Dra. Georgete Medleg Rodrigues (UnB/PPGCINF)

Membro Titular Externo ao PPGCINF:  Profª Drª  Elen Cristina Geraldes (UnB/FAC)

Membro Titular Interno: Profª Drª Cynthia Roncaglio (UnB/PPGCINF)

Membro Suplente: Drª Vivien Fialho da Silva Ishaq (Arquivo Nacional/COREG/Brasília)

 

 

Resumo:

 

Arquivos são importantes instrumentos de pesquisa para as investigações sobre graves violações de direitos humanos. O objetivo geral da pesquisa é analisar a relação entre os obstáculos encontrados, ou não, pelas comissões da verdade quanto ao acesso aos arquivos da ditadura militar de 1964 e os resultados das investigações expressos nos relatórios finais das comissões. Apresentam-se uma trajetória histórica da entrada dos arquivos nas discussões sobre investigações sobre graves violações de direitos humanos no Brasil e no mundo; a legislação arquivística implementada durante o regime militar (1964-1985) até a legislação arquivística em vigência nos dias atuais, incluindo, a Lei de Acesso à Informação (LAI) e sua relação com a Comissão Nacional da Verdade (CNV); o surgimento das comissões da verdade no mundo, além da trajetória nacional que culminou com a lei e implementação da CNV; e o impacto do acesso aos arquivos sobre as investigações das comissões da verdade. A partir de levantamento feito na internet e do Relatório Final da CNV, foram mapeadas as comissões da verdade no Brasil e identificadas 47 comissões. Durante a seleção, buscou-se sistematizar as comissões da verdade que apresentaram relatórios finais. Para o estudo, foram selecionados dezesseis relatórios finais. Os resultados parciais apontam que as comissões da verdade enfrentaram obstáculos de diversas ordens referentes ao acesso. As conclusões parciais têm confirmado a hipótese de que os obstáculos ao acesso aos arquivos produzidos durante a ditadura militar tiveram impacto sobre as investigações das comissões da verdade sobre graves violações de direitos humanos cometidos durante a ditadura militar brasileira (1964-1985).

 

Palavras-chave: Brasil. Direitos Humanos. Comissões da Verdade. Práticas Arquivísticas. Legislação Arquivística. 

Defesa de Mestrado

 

Título: Comportamento informacional de gestores de políticas públicas em meio ambiente do Distrito Federal

Aluno: Jhonei Batista de Souza Braga

Data: 28/08/2017

Horário: 9h

Local: Sala 120

 

Banca Examinadora de Defesa de Dissertação de Mestrado

                                Presidente: Prof. Dr. Fernando César Lima Leite

Membro Titular Externo ao PPGCInf: Drª Patrícia Rocha Bello Bertin (Embrapa)

Membro Titular: Profª. Drª Fernanda Passini Moreno (PPGCINF)

Membro Suplente: Profª. Drª Greyciane Souza Lins (UnB)

 

 

 

Resumo:

O fenômeno aqui investigado é o comportamento informacional de gestores de políticas públicas em meio ambiente do Distrito Federal, quanto ao atendimento de suas necessidades de informação e aos meios empregados nas ações de busca informacional e, ainda, quanto à forma por meio da qual se dá o uso dessas informações nas suas atividades cotidianas. A pesquisa tem caráter descritivo e natureza aplicada. Quanto aos métodos ou procedimentos, trata-se de uma pesquisa com survey. A técnica utilizada para a coleta de dados é a entrevista semiestruturada. Verifica-se a necessidade da utilização da abordagem metodológica qualitativa diante do perfil desta pesquisa. Nesse caso, optou-se por investigar, entre os profissionais da área, os gestores que compõem a alta administração dos órgãos públicos em meio ambiente do Distrito Federal (Sistema Sema/DF), com o intuito de identificar o comportamento informacional daqueles que detêm maior poder de decisão institucional. Dentre os resultados vislumbrados nesta pesquisa, verificou-se que estes gestores têm necessidades informacionais e se utilizam de informações tanto de conhecimento geral para as suas atividades de gestão como também de informações técnicas específicas da sua área de atuação.

Defesa de Doutorado

 

Título: Diretrizes para uma política de gestão de dados científicos no Brasil

Aluna:  MAÍRA MURRIETA COSTA

Data: 18/08

Horário: 14h

Local: Sala PPGCINF

Banca Examinadora de Defesa de Tese de Doutorado

Presidente: Murilo Bastos da Cunha

Membro Titular Externo à Universidade de Brasília: Rubens de Oliveira Martins

Membro Titular Externo ao PPGCINF: Luana Farias Sales

Membro Titular: Jayme Leiro

Membro Suplente: Fernando William Cruz

 

 

Resumo:

Contextualiza a organização social da ciência contemporânea. Discute aspectos sobre a ciência colaborativa do Século XXI, a internacionalização e a virtualização da ciência que culminaram com a explosão de dados científicos coletados on-line, dando origem ao fenômeno de big data e e-science. Discute o surgimento dos termos guarda-chuva e-science e cyberinfrastructure. Contextualiza a literatura sobre dados de pesquisa/ dados científicos e argumenta sobre a necessidade da estruturação de políticas públicas que norteiem a gestão dos dados científicos oriundos da e-science, visto que, do ponto da gestão da informação, faz-se necessário apontar soluções para um tratamento adequado dos dados científicos de forma a viabilizar o processo de armazenamento, organização, busca, recuperação e difusão dos dados coletados, em grande escala, por instrumentos tecnológicos tais como telescópios, satélites, sensores especializados, dentre outros. Nesse aspecto, relembra que a preocupação da informação científica está na origem da ciência da informação, logo discute o papel do profissional da informação no tratamento dos dados oriundos da e-science. Também são contextualizados na revisão de literatura a política brasileira de ciência e tecnologia, bem como a política de informação. O estudo apresenta como objetivo geral – identificar as ações de governo para a gestão de dados científicos em países desenvolvidos, de forma a viabilizar a elaboração de um conjunto de diretrizes para a gestão de dados científicos no Brasil. Para tanto, desenharam-se os seguintes objetivos específicos: OE 1) Identificar os países desenvolvidos que possuem ações de governo para a gestão de dados científicos, OE 2) Analisar as ações de governo de países desenvolvidos sobre a gestão de dados científicos nos países identificados, OE 3) Identificar os principais problemas e as soluções inerentes à construção de uma política estruturada para a gestão de dados científicos, OE 4) Identificar a postura das agências de fomento no Brasil com relação ao tema, OE 5) Identificar o posicionamento dos pesquisadores brasileiros envolvidos com o tema e, OE 6) Elaborar um esboço de diretrizes para a gestão de dados científicos no Brasil. Discursa sobre a primeira fase da pesquisa, marcada pela necessidade de nortear a busca bibliográfica de forma a identificar as políticas nacionais de gestão de dados científicos nos países mais avançados em e-science. Informa que para tanto foi realizada uma pesquisa descritiva e de levantamento (survey), que utilizou a bibliometria, um método quantitativo baseado em análises estatísticas, para análise de dados. O estudo analisou o termo e-science nas bases de dados Library Information Science Abstracts e Library Information, Science Technology Abstracts. Discorre sobre a metodologia da pesquisa, classificando-a como exploratória, com características quantitativas e qualitativas na coleta de dados, portanto uma pesquisa mista. Informa que a amostra da pesquisa é não probabilística, formada pelo critério de intencionalidade. Foram entrevistados 40 pesquisadores doutores envolvidos com a gestão de dados científicos no Brasil. Além deles, foi aplicado questionário a 22 servidores de agências de fomento e fundações de amparo à pesquisa no Brasil. No aspecto qualitativo da análise dos dados, tece considerações sobre a abordagem de investigação utilizada – a Grounded Theory. O estudo argumenta que o Brasil carece de uma política explícita que norteie as ações do Estado em termos de gestão e preservação dos dados científicos, bem como diretrizes para reutilização dos dados em questão. Em termos de iniciativas nacionais, tem-se apenas a referente a informação geoespacial já estabelecida em Decreto 6.666 de 2008. Além desta, a outra iniciativa de destaque é a informação sobre biodiversidade trabalhada no Portal Brasileiro da Biodversidade. Também apresenta o edital da FAPESP em e-science como iniciativa relevante na área. Apresenta um framework com itens considerados de extrema relevância para a elaboração de um conjunto de diretrizes que venham a servir de elementos norteadores para a elaboração de uma política para a gestão de dados científicos no Brasil. Conclui que uma uma política de gestão de dados precisa abordar aspectos tais como: regras de compartilhamento e reuso dos dados, prazo de carência para algumas categorias de dados, prazo de armazenamento para algumas classes de dados, padrões de metadados e interoperabilidade destes. Além disso, deve exigir do pesquisador um plano de gestão de dados quando a pesquisa for fomentada pelo governo, bem como definir os requisitos necessários para a implementação do DOI para dados a exemplo das questões relacionadas no framework.

Palavras-chave: : big data, biblioteca digital, data deluge, e-science, cyberinfrastructure, dados científicos, dados de pesquisa, gestão de dados científicos

Relatório Intermediário de Mestrado

 

 

Título: Diferenças disciplinares na produção, compartilhamento e reuso de dados de pesquisa

 

Aluna:  Érika Rayanne Silva de Carvalho

Data: 17/07/2017

Horário: 9h

Local: Sala 120

 

Banca Examinadora:

 

Presidente: Fernando César Lima Leite

Membro Titular Externo ao PPGCInf: Patrícia Rocha Bello Bertin

Membro Titular: João de Melo Maricato

Membro Suplente: Murilo Bastos da Cunha

 

 

Resumo:

 

O estudo tem por objetivo identificar diferenças disciplinares nas práticas de produção, compartilhamento e reuso de dados de pesquisa. A fundamentação teórica apresentada pautou-se em discussões sobre aspectos da comunicação científica, especialmente, referentes aos dados de pesquisa, à luz das diferenças disciplinares. Pretende trazer contribuições teóricas para maior compreensão sobre o tema, além de contribuições aplicadas, no sentido de fornecer subsídios para a gestão de dados em diversas áreas do conhecimento. Trata-se de pesquisa de caráter descritivo, com abordagem mista e que adotará a estratégia de investigação triangulação concomitante. A coleta dos dados dar-se-á por meio da aplicação de questionários e realização de entrevistas. Posteriormente, tais dados serão submetidos à análise estatística e textual. O universo da pesquisa será o conjunto de pesquisadores bolsistas do CNPq, na modalidade Produtividade em Pesquisa, das áreas de Física, Sociologia e Letras. Por fim, o estudo poderá abrir caminhos para o desenvolvimento de novas pesquisas sobre o tema, sob diversas nuances.

Palavras-chave: Comunicação científica. Ciência aberta. Dados de pesquisa. Diferenças disciplinares.

Defesa de Doutorado

 

Título: A DOCUMENTAÇÃO SOBRE EXPOSIÇÕES EM MUSEUS DE ARTE: A MUSEALIZAÇÃO DOS PROCESSOS, A HISTÓRIA DA EXPOSIÇÃO E A MUSEOGRAFIA

 

Aluno(a): Monique Batista Magaldi

Data: 31/ 07/2017

Horário: 14h

 

Composição da Banca:

 

Presidente: Prof. Dr. Emerson Dionísio Gomes de Oliveira

Membro Titular Externo à Universidade de Brasília: Profa. Dra Tereza Cristina Moletta Scheiner

Membro Titular Externo: Profa. Dra. Andréa Fernandes Considera

Membro Titular (vinculado ao PPGCINF): Profa. Dra. Ana Lúcia de Abreu Gomes

Membro Suplente: Profa. Dra. Adriana Mattos Clen Macedo (VIS/ UnB)

 

Resumo: Esta pesquisa aborda a contribuição da documentação sobre exposições para estudos em história das exposições, museografia, musealização, a partir da documentação resultante de experiências de novas versões ou ‘lembranças’ de exposições realizadas em museus brasileiros de arte, criados na primeira metade do século XX. A documentação originada das exposições é considerada relevante por sua perspectiva histórica e social. A documentação de exposições é produzida a partir de visões institucionais baseadas em pesquisas e processamentos técnicos chamados de museografia da exposição, que envolve desde a concepção, desenvolvimento, implantação, exibição, desmontagem e avaliação de cada exposição de longa duração, temporária e virtual desenvolvida em museus, instituição que tem como principal finalidade estar a serviço da sociedade e do seu desenvolvimento.  A documentação sobre exposição envolve diferentes setores da instituição, podendo conter documentos como projetos, relatórios e/ ou dossiês, impressos e digitais, de diferentes setores envolvidos; cartas impressas e correios eletrônicos; lista de acervos selecionados e expostos; fotografias e filmagens do acervo e das salas da exposição; planta-baixa; filmagens com registros de pesquisas; falas dos curadores envolvidos e convidados para refletir sobre as atividades desenvolvidas (pelos setores de curadoria, educativo, pesquisa, entre outros); Atas; clippings; entre outros documentos.  A documentação pode ser realizada em arquivos, bibliotecas e setores de documentação de acervo museológico, setor de expografia e/ou pesquisa. Por sua vez, a efemeridade das exposições demanda procedimentos mínimos na documentação, seja a partir de processamentos técnicos realizados no âmbito da arquivologia, biblioteconomia, ciência da Informação ou Museologia. O objetivo é analisar a importância da documentação sobre exposições em museus de arte para estudos sobre a história das exposições a partir da compreensão de conceitos como musealização, documentação, museografia, expologia, documentação em museus e documentação museológica. Para tanto, esta pesquisa apresenta reflexões teórico-conceituais a partir de recorte temporal e temático, baseados na documentação produzida a partir de releituras ou lembranças de exposições, realizadas entre 2006 e 2016, nas seguintes instituições: Pinacoteca do Estado de São Paulo, criada em 1905; Museu de Arte de São Paulo (MASP), de 1947; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) e Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), ambos fundados em 1948.

 

Palavras-chave: Documentação sobre exposições; história das exposições; Musealização; Museografia; museus de arte.

Defesa de Doutorado

 

Título: Estudo do emprego da taxonomia como instrumento auxiliar para decisões táticas no processo de auditoria

 

Aluno: José Humberto da Cruz Cunha

Data: 07/07/2017

Horário: 14h30

Local: Auditório

Banca Examinadora:

 

Presidente: Profº Drº Rogério Henrique de Araújo Júnior

Membro Titular: Profº Drº: Roberto Campos da Rocha Miranda (CEFOR)

Membro Titular: Profº Drº Hubert Jean François Cormier (FIL/UnB)

Membro Titular: Prof°Dr°Renato Tarciso Barbosa de Sousa

Membro Suplente: Profª D Eliane Braga de Oliveira

 

 

 

Resumo:

Estuda o uso da taxonomia como instrumento auxiliar para decisões táticas no processo de auditoria. Propõe uma taxonomia como um instrumento para a gestão da informação nos processos de auditoria. Analisa conceitualmente a construção dessa metodologia a partir da aplicação como modelo de representação de lições aprendidas. Mapeia na literatura contábil os riscos de distorção para validação técnica da estrutura taxonômica e demonstra analiticamente o risco de detecção mediante as trilhas conceituais sustentadas por relações lógicas da Teoria do Conceito. É um estudo exploratório que tem como procedimento técnico o levantamento bibliográfico e a pesquisa documental, os quais subsidiam as análises qualitativas. São defendidas as teses de que a taxonomia facetada é um instrumento de auxílio às decisões táticas na auditoria contábil e, que a estrutura da taxonomia como linguagem documentária permite a recuperação de informações de lições aprendidas numa trilha formada por relações lógicas entre termos de diferentes facetas. A análise de conteúdo é aplicada em documentos obtidos junto à duas instituições que executam auditoria independente. Vale-se de casos de estudos de Deloitte dos Estados Unidos, uma das quatro maiores empresas de auditoria do mundo, atuante sobretudo na área privada e, um caso do Tribunal de Contas da União (TCU), órgão responsável pela auditoria independente nas contas públicas do Governo Federal brasileiro. Os resultados obtidos indicam: a taxonomia como instrumento auxiliar às decisões dos auditores quanto à escolha de procedimentos com base na análise de risco de distorções provocados por erros ou fraudes; e, que a sequência lógica do processo de auditoria, refletida nas trilhas na estrutura de classificação da taxonomia correspondem às etapas objetivas sugerindo a redução de subjetividade nas escolhas do auditor, por conseguinte ajuda a gestão do risco de auditoria.

 

Palavras chave: Taxonomia; Auditoria; Lições aprendidas; Decisão tática.