• 20160830_085830.jpg
  • 20160830_085847.jpg
  • 20160830_085747.jpg
  • 20160830_090216.jpg
  • 20160830_090251.jpg

 

Banca examinadora de defesa de dissertação de mestrado do(a) aluno(a) Fernando Gabriel Corrêa,

 

Título: Influências das tecnologias digitais da informação e comunicação na delimitação conceitual e nas repercussões do Princípio da Territorialidade na Arquivologia e na Ciência da Informação

 

Data: 29 de janeiro de 2016

Horário: 09h

 

Banca Examinadora de Defesa de Dissertação de Mestrado

Presidente:Prof.ª Dr.ª Angelica Alves da Cunha Marques

Membro Titular:Prof.ª Dr.ª Natália BolfariniTognoli

Membro Titular: Prof.ª Dr.ª Eliane Braga de Oliveira

Membro Suplente: Prof. Dr. Renato Tarciso Barbosa de Sousa

 

Resumo:

Esta dissertação de mestrado tem por objeto de estudo as influências que as tecnologias digitais da informação e comunicação desempenham na delimitação conceitual e nas repercussões do Princípio da Territorialidade na Arquivologia, bem como nos seus possíveis reflexos para a Ciência da Informação. Assim, considera a relevância dessas tecnologias ao longo da trajetória histórica, nas definições e nas repercussões desse princípio, especialmente para essas duas disciplinas. O objetivo geral é demonstrar as influências das tecnologias digitais da informação e comunicação na delimitação conceitual e nas repercussões do Princípio da Territorialidade na Arquivologia, se e como elas aparecem na Ciência da Informação. Os objetivos específicos e os métodos consistem, respectivamente, em: buscar referenciais conceituais de “princípio”, “território”, “lugar” e “espaço”, a partir da análise de obras da Filosofia e da Sociologia da Ciência, da Geografia, do Direito e da Arquivologia; delimitar e compreender o Princípio da Territorialidade na Arquivologia, pelo mapeamento das obras arquivísticas mais citadas nas dissertações e nas teses com temáticas relacionadas aos arquivos e à Arquivologia, produzidas nos programas de pós-graduação em Ciência da Informação; compreender o papel mais amplo das tecnologias digitais da informação e comunicação na demarcação da territorialidade, pela identificação de dissertações e teses no banco de teses da CAPES, sem restrição quanto ao programa de pós-graduação. Trata-se, portanto, de uma pesquisa qualitativa e quantitativa, exploratória, descritiva, explicativa e bibliográfica. O recorte temporal inicial da pesquisa refere-se à data de publicação da obra mais antiga e o recorte temporal final é o ano de publicação da última obra analisada. A partir dessas etapas, a pesquisa apresenta: referenciais conceituais do que seja “princípio”, “espaço”, “lugar” e “território”; definições dos termos “digital” e “documento digital” para o Interpares e o ConseilInternationaldesArchives. A dissertação retoma as origens, o desenvolvimento, as definições e repercussões do Princípio da Territorialidade no âmbito da trajetória da Arquivologia como disciplina científica, considerando os desafios trazidos pela informação digital. A análise das obras nos permite observar que, inicialmente, o Princípio da Territorialidade surge no Direito e é posteriormente apropriado e desenvolvido pela Arquivologia. Além disso, verificamos que a delimitação da territorialidade pela Arquivologia é muito influenciada pelas tecnologias da informação e comunicação, como o caráter cultural do documento de arquivo ligado ao espaço virtual da cultura, no âmbito da difusão cultural. A pesquisa identifica, ainda, aproximações do Princípio da Territorialidade com a Ciência da Informação, especialmente nos seus estudos quanto às forças que atuam nos fluxos da informação, nos meios de sua organização e difusão. Em relação ao acesso à informação, este deixa de ser local e se torna global, o que influencia os fluxos informacionais para as duas disciplinas.

Palavras-chave:Princípio. Territorialidade. Tecnologias da informação e comunicação. Arquivologia. Ciência da Informação.