• 20160830_085747.jpg
  • 20160830_090251.jpg
  • 20160830_085830.jpg
  • 20160830_085847.jpg
  • 20160830_090216.jpg

Defesa de Doutorado

 

Título: A DOCUMENTAÇÃO SOBRE EXPOSIÇÕES EM MUSEUS DE ARTE: A MUSEALIZAÇÃO DOS PROCESSOS, A HISTÓRIA DA EXPOSIÇÃO E A MUSEOGRAFIA

 

Aluno(a): Monique Batista Magaldi

Data: 31/ 07/2017

Horário: 14h

 

Composição da Banca:

 

Presidente: Prof. Dr. Emerson Dionísio Gomes de Oliveira

Membro Titular Externo à Universidade de Brasília: Profa. Dra Tereza Cristina Moletta Scheiner

Membro Titular Externo: Profa. Dra. Andréa Fernandes Considera

Membro Titular (vinculado ao PPGCINF): Profa. Dra. Ana Lúcia de Abreu Gomes

Membro Suplente: Profa. Dra. Adriana Mattos Clen Macedo (VIS/ UnB)

 

Resumo: Esta pesquisa aborda a contribuição da documentação sobre exposições para estudos em história das exposições, museografia, musealização, a partir da documentação resultante de experiências de novas versões ou ‘lembranças’ de exposições realizadas em museus brasileiros de arte, criados na primeira metade do século XX. A documentação originada das exposições é considerada relevante por sua perspectiva histórica e social. A documentação de exposições é produzida a partir de visões institucionais baseadas em pesquisas e processamentos técnicos chamados de museografia da exposição, que envolve desde a concepção, desenvolvimento, implantação, exibição, desmontagem e avaliação de cada exposição de longa duração, temporária e virtual desenvolvida em museus, instituição que tem como principal finalidade estar a serviço da sociedade e do seu desenvolvimento.  A documentação sobre exposição envolve diferentes setores da instituição, podendo conter documentos como projetos, relatórios e/ ou dossiês, impressos e digitais, de diferentes setores envolvidos; cartas impressas e correios eletrônicos; lista de acervos selecionados e expostos; fotografias e filmagens do acervo e das salas da exposição; planta-baixa; filmagens com registros de pesquisas; falas dos curadores envolvidos e convidados para refletir sobre as atividades desenvolvidas (pelos setores de curadoria, educativo, pesquisa, entre outros); Atas; clippings; entre outros documentos.  A documentação pode ser realizada em arquivos, bibliotecas e setores de documentação de acervo museológico, setor de expografia e/ou pesquisa. Por sua vez, a efemeridade das exposições demanda procedimentos mínimos na documentação, seja a partir de processamentos técnicos realizados no âmbito da arquivologia, biblioteconomia, ciência da Informação ou Museologia. O objetivo é analisar a importância da documentação sobre exposições em museus de arte para estudos sobre a história das exposições a partir da compreensão de conceitos como musealização, documentação, museografia, expologia, documentação em museus e documentação museológica. Para tanto, esta pesquisa apresenta reflexões teórico-conceituais a partir de recorte temporal e temático, baseados na documentação produzida a partir de releituras ou lembranças de exposições, realizadas entre 2006 e 2016, nas seguintes instituições: Pinacoteca do Estado de São Paulo, criada em 1905; Museu de Arte de São Paulo (MASP), de 1947; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) e Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), ambos fundados em 1948.

 

Palavras-chave: Documentação sobre exposições; história das exposições; Musealização; Museografia; museus de arte.